AGUIAR, Manoel Pinto

 

Nasceu em Alagoinhas, Bahia, a 7 de março de 1910. Concluiu a Faculdade de Direito da Bahia em 1931, aos 21 anos de idade, dedicando-se à advocacia. Nessa altura, tendo sido convidado para participar da administração pública, revelou-se grande empreendedor, especialmente como diretor da Caixa Econômica Federal na Bahia. No período em que funcionou o Parlamento, foi deputado estadual. Com a decretação do Estado Novo (1937), afastou-se da vida pública, voltando a exercê-la após a sua queda. Nos anos cinquenta, tornou-se um dos principais animadores da empolgante discussão que então se travou acerca das razões pelas quais a Bahia perdera o dinamismo econômico. Esse debate passou à história como O Enigma Bahiano. Por entender que a questão achava-se relacionada à dimensão cultural, criou um programa a cargo da Editora Progresso – que tomou a iniciativa de organizar -, de que resultou a publicação de grande número de livros. Na administração pública exerceu altos cargos, entre estes o de diretor da Eletrobrás. Atuou também no magistério, tendo sido catedrático e diretor da Faculdade de Ciências Econômicas. Faleceu a 24 de novembro de 1991, aos 81 anos de idade.

Bibliografia :

Gênese.  Salvador : Edição do Autor, 1930.

Programa de administração.  Salvador : Ed. da Caixa Econômica Federal da Bahia, 1934.

As caixas econômicas e o problema das habitações populares.  Salvador : Ed. da Caixa Econômica Federal da Bahia, 1935.

Um plano de pesquisas para planejamento econômico.  Salvador : UFBA, 1957.  64 p. (Cadernos de texto, cursos, mementos e sinopses).

Aspectos da economia colonial.  Salvador : Progresso, 1957.  152 p.

América Latina : comércio internacional e mercado regional.  Salvador : Universidade da Bahia, 1958.  75 .

Brasil : integração e desenvolvimento econômico.  Prefácio Aliomar Baleeiro.  Salvador : Progresso, 1958.  97 p.

Função dinâmica das bibliotecas.  Prefácio Eugênio Gomes.  Salvador : Progresso, 1958.  65 p.

Conceito de região de planejamento.  Salvador : Progresso, 1959.  77 p. (Cadernos de texto, cursos, mementos e sinopses).  Em colaboração com John Friedmann.
A lei de diretrizes e bases da educação nacional.  Salvador : Universidade da Bahia, 1959.  137 p.  Em colaboração com Clemente Mariani.

A abertura dos portos : Cairu e os ingleses.  Salvador : Progresso, 1960.  180 p.  (Estudos brasileiros. Série marajoara, 30).

Bancos no Brasil colonial : tentativas de organização bancária em Portugal e no Brasil até 1808.  Salvador : Progresso, 1960.  120 p.  il.  (Estudos brasileiros. Série marajoara, 31).

Homens, livros e idéias.  Prefácio Vitorino Nemesio.  Salvador : Progresso, 1960.  153 p.

Retrato tributário da Bahia.  Salvador : Ed. da Universidade da Bahia, 1960.

Ensaios de história e economia.  Salvador : Progresso, 1960.  2 v.

Eletrificação rural.  Belo Horizonte : Instituto de Direito de Eletricidade, 1967.

Encruzilhadas da história.  Salvador : Progresso, 1972.  257 p. (Estudos brasileiros. Série marajoara, 34).

Rui e a economia brasileira.  Rio de Janeiro : Fundação Casa de Rui Barbosa, 1973.  531 p.

Os precursores brasileiros da aeronáutica.  Rio de Janeiro : Civilização Brasileira ; Brasília :INL, 1975.  212 p.  (Retratos do Brasil, 92).

 

Desenvolvimento planejamento e expansão demográfica.  Salvador : Centro Editorial e Didático da UFBA, 1977.

__________. 2. ed.  Salvador : Gráfica Universitária, 1979.  165 p.

Mandioca  : pão do Brasil.  Rio de Janeiro : Civilização Brasileira, 1982.  181 p.  (Retratos do Brasil, 166).

Nordeste : o drama das secas.  Rio de Janeiro : Civilização Brasileira, 1983.  181 p. (Retratos do Brasil, 167).

Um episódio da reação liberal de 1878.  Brasília : Imprensa Nacional, 1983.  102 p.  il.

Abastecimento : crises, motins e intervenção.  Rio de Janeiro : Philobiblion, 1985.  182 p. (Redescobrimento do Brasil, 4).

Estudos sobre o autor :

AZEVEDO, Thales.  Aventura e realização de Pinto de Aguiar.  A Tarde, Salvador, 2 abr. 1993.  Opinião, p. 6.
CALASANS, José.  Um grande baiano.  In : ROCHA, Fernando.  Progresso Editora : tribuna e paixão de Pinto de Aguiar.  Salvador : EDUFBA, 1996.  p. 211-212.

CARVALHO FILHO, Aloysio de.  Coletânea de poetas baianos.  Rio de Janeiro : Minerva, 1951.  p. 215.

CÉSAR, Elieser.  Pinto de Aguiar : timoneiro de uma aventura editorial.  A Tarde, Salvador, 3 maio 1997.  Cultural, p. 2-4.

CHIACCHIO, Carlos.  “Um nobre de alma”.  A Tarde, Salvador, 3 maio 1997.  Cultural, p. 3.

COUTINHO, Afrânio.  Brasil e brasileiros de hoje.  Rio de Janeiro : Editorial Sul Americana, 1961.  p. 11-12.

DADOS biobibliográficos do autor.  In : AGUIAR, Pinto de.  Abastecimento : crises, motins e intervenção.  Rio de Janeiro : Philobiblion, 1985.  p. 11-16.

ENCICLOPÉDIA de literatura brasileira.  Rio de Janeiro : Oficina Literária Afrânio Coutinho.  v. 1.  p. 163.

FARIA, Sylvio Santos.  Manoel Pinto de Aguiar.  In : ROCHA, Fernando.  Progresso Editora : tribuna e paixão de Pinto de Aguiar.  Salvador : EDUFBA, 1996.  p. 203-209.

GOMES, João Carlos Teixeira.  A UFBA e o acervo de Pinto de Aguiar.  A Tarde, Salvador, 3 abr. 1993.  Opinião, p. 6.

INSTITUTO BAIANO DO LIVRO.  A aventura editorial de Pinto de Aguiar.  Salvador, 1993.  121 p.

INSTITUTO HISTÓRICO E GEOGRÁFICO BRASILEIRO.  Dicionário biobibliográfico de historiadores, geógrafos e antropólogos brasileiros.  Rio de Janeiro : O Instituto, 1991.  v. 1. p. 15-16.

LIVRO homenageia Pinto de Aguiar.  A Tarde, Salvador, 21 mar. 1997.  p. 2.

__________.  __________.  Salvador, 21 mar. 1997.  p. 3.

LOBO, Júlio César.  Um idealista chamado Pinto de Aguiar.  A Tarde, Salvador, 23 mar. 1993.  Caderno 2.  Lançamento.

MENEZES, Raimundo de.  Dicionário literário brasileiro.  São Paulo : Saraiva, 1969.  v. 1. p. 23.

MORRE no Rio professor Manoel Pinto de Aguiar.  A Tarde, Salvador, 25 nov. 1991.  Geral, p. 3.

PASSOS, J. J. Calmon de.  Inteligência da melhor qualidade.  In : ROCHA, Fernando.  Progresso Editora : tribuna e paixão de Pinto de Aguiar.  Salvador : EDUFBA, 1996.  p. 217-218.

PEDRÃO, Fernando.  As reconstruções de história econômica de Pinto de Aguiar.  In : ROCHA, Fernando.  Progresso Editora : tribuna e paixão de Pinto de Aguiar.  Salvador : EDUFBA, 1996.  p. 213-216.

PROGRESSO.  Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 20 fev. 1993.

RAMALHO, Marcus.  Editando Progresso.  A Tarde, Salvador, 20 mar. 1997.  Caderno 2.  Cultura, p. 3.

ROCHA, Amerina de Aguiar.  Casamento não é carreira.  In : ROCHA, Fernando. Progresso Editora : tribuna e paixão de Pinto de Aguiar.  Salvador : EDUFBA, 1996.  p. 219-220.

ROCHA, Fernando.  Progresso Editora : tribuna e paixão de Pinto de Aguiar.  Salvador : EDUFBA, 1996.  231 p.  il.

SAMPAIO, Consuelo Novaes.  “Homem de sete instrumentos”. In : ROCHA, Fernando.  Progresso Editora : tribuna e paixão de Pinto de Aguiar.  Salvador : EDUFBA, 1996.  p. 181-202.

SANTOS, Milton.  Pinto de Aguiar : um homem e o seu tempo.  In : ROCHA, Fernando.  Progresso Editora : tribuna e paixão de Pinto de Aguiar.  Salvador : EDUFBA, 1996.  p. 221-227.