ALENCAR, José (Martiniano) de

     Nasceu em Mecejana, Estado do Ceará em 1829. Aos nove anos viaja do Ceará à Bahia, acreditando os estudiosos que as impressões dessa época é que teria procurado expressar nos seus livros. É considerado como uma das figuras centrais do romantismo brasileiro. Estudou humanidades no Rio de Janeiro entre 1840 e 1843, transferindo-se para São Paulo, a fim de fazer o curso jurídico em 1846. Em 1848, seguiu para Pernambuco para completar o curso jurídico na Faculdade de Olinda, mas diplomou-se em São Paulo em 1850, vindo a fixar-se no Rio de Janeiro no ano seguinte. No Rio militou na imprensa, tornando-se articulista político e cronista dos mais brilhantes. Foi também deputado e ministro,  afastando-se da política em 1869, por ter sido excluído da lista dos senadores a serem eleitos pelo Ceará. Fez uma viagem à Europa, em 1876, em busca de tratamento médico, vindo a falecer no Rio de Janeiro, no ano seguinte.

Bibliografia:

Cartas sobre a Confederação dos Tamoios.  Rio de Janeiro : Tipografia Nacional do Diário, 1856.  16 p.

Cinco minutos; a viuvinha.  Rio de Janeiro, 1856.  85 p.

Cinco minutos; a viuvinha.  7. ed.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1977.  v. 6.  (Edição comemorativa do centenário de morte do autor).
O Marquês do Paraná; traços biográficos.  Rio de Janeiro, 1856.  35 p.

O Guarani.  Rio de Janeiro : Tipografia Nacional do Diário, 1857.  4 v.

_____.  2. ed.  Paris, 1868.  2 v.

_____.  3. ed.  Paris, [s. d.].  2 v.

_____.  4. ed.  Paris, [s. d.].  2 v.

_____.  5. ed.  Rio de Janeiro, 1887.

_____.  7. ed.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1977.  v. 1.  (Edição comemorativa do centenário de morte do autor).

O Rio de Janeiro; verso e reverso.  Rio de Janeiro : Empresa Nacional do Diário, 1857.

_____.  2. ed.  Paris, 1864.

O demônio familiar.  Rio de Janeiro : Tip. Soares e Irmão, 1857.

_____.  2. ed.  [s. d.], 1864.  159 p.

As asas de um anjo.  Rio de Janeiro : Tip. Soares e Irmão, 1860.  192 p.

Carta que dirige aos eleitores da Província do Ceará.  Rio de Janeiro, 1860.  20 p.

A noite de São João.  Rio de Janeiro : Tip. F. Paula Brito, 1860.  49 p.

Diva; perfil de mulher.  Paris, 1861.  164 p.

_____.  2. ed.  Paris, 1868.

_____.  3. ed.  Paris, 1870.

_____.  7. ed.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1977.  v. 7.  (Edição comemorativa do centenário de morte do autor).

Lucíola; perfil de mulher.  Paris, 1862.  194 p.

_____.  2. ed.  Paris, 1865.

_____.  3. ed.  revista pelo autor.  Paris, 1872.

_____.  4. ed.  Paris, [s. d.].
Lucíola; perfil de mulher.  5. ed.  Rio de Janeiro, [s. d.].

_____.  7. ed.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1977.  v. 7.  (Edição comemorativa do centenário de morte do autor).

As minas de prata; romance histórico.  Rio de Janeiro, 1862.

_____.  Rio de Janeiro, 1865.  6 v.

_____.  Rio de Janeiro : Garnier, 1877.  3 t.

_____.  7. ed.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1977.  544 p.  (Edição comemorativa do centenário de morte do autor).

Iracema; lenda do Ceará.  Rio de Janeiro, 1865.

_____.  2. ed.  Rio de Janeiro, 1870.

_____.  3. ed.  Paris, 1875.

_____.  7. ed.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1977.  v. 1.  (Edição comemorativa do centenário de morte do autor).

Ao imperador; cartas políticas de Erasmo.  Rio de Janeiro, 1865.  92 p.

_____.  2. ed.  Paris, 1865.

_____.  3. ed.  Rio de Janeiro, 1860.

Ao imperador; novas cartas políticas de Erasmo.  Rio de Janeiro, 1866.  82 p.

Páginas da atualidade; os partidos.  Rio de Janeiro : Tipografia Quirino & Irmãos, 1866.  32 p.

Ao povo; cartas políticas de Erasmo sobre a crise financeira.  Rio de Janeiro, 1866.

A côrte de leão.  Rio de Janeiro, 1867.  16 p.

O juizo de Deus; visão de Job.  Rio de Janeiro, 1867.

O Marquês de Caxias;  biografia.  Rio de Janeiro, 1867.

Uma tese constitucional; a princesa imperial e o príncipe consorte no Conselho de Estado.  Rio de Janeiro : Livraria Popular, 1867.  64 p.

A expiação.  Rio de Janeiro : A. A. da Cruz Coutinho, 1868.  148 p.

Questão de habeas-corpus.  Rio de Janeiro, 1868.  62 p.

Systema representativo.  Rio de Janeiro : Garnier, 1868.  204 p.

_____.  Introdução Walter Costa Porto.  Brasília : Senado Federal, 1977.  204 p.  (Coleção memória brasileira, 3).  Fac-símile.  Rio de Janeiro, 1868.

Discursos proferidos na Câmara dos Deputados e no Senado na sessão de 1869.  Rio de Janeiro : Typ. de J. A. dos Santos Cardoso, 1869.

Relatório do Ministério da Justiça apresentado à Assembléia Geral Legislativa na 1ª sessão da 14ª Legislatura.  Rio de Janeiro : Progresso, 1869.  141 p.

O gaúcho.  Rio de Janeiro : Garnier, 1870.  2 v.

_____.  7. ed.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1977.  v. 4.  (Edição comemorativa do centenário de morte do autor).

Guerra dos mascates.  Rio de Janeiro, 1870.  2 v.

_____.  7. ed.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1977.  v. 3.  (Edição comemorativa do centenário de morte do autor).

A pata da gazela.  Rio de Janeiro : Garnier, 1870.  232 p.

_____.  7. ed.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1977.  v. 6.  (Edição comemorativa do centenário de morte do autor).

Discursos proferidos na sessão de 1871 na Câmara dos Deputados.  Rio de Janeiro : Perseverança, 1871.  175 p.

O tronco do ipê.  Rio de Janeiro : Garnier, 1871.  2 v.

_____.  7. ed.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1977.  v. 4.  (Edição comemorativa do centenário de morte do autor).

A viagem imperial.  Rio de Janeiro : J. Villeneuve, 1871.  35 p.

Sonhos d’ ouro.  Rio de Janeiro : Garnier, 1872.  2 v.

_____.  7. ed.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1977.  v. 6.  (Edição comemorativa do centenário de morte do autor).

Alfarrábios; crônicas dos tempos coloniais.  Rio de Janeiro : Garnier, 1873.  2 v.

_____.  7. ed.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1977.  v. 3.  (Edição comemorativa do centenário de morte do autor).

Voto de graças.  Rio de Janeiro : Tip. Pinheiro & Cia., 1873.  26 p.

O nosso cancioneiro.  Rio de Janeiro, 1874.

Reforma eleitoral.  Rio de Janeiro : J. Villeneuve, 1874.  122 p.

O Jesuíta.  Rio de Janeiro, 1875.  229 p.

Senhora; perfil de mulher.  Rio de Janeiro, 1875.  2 v.

_____.  7. ed.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1977.  v. 7.  (Edição comemorativa do centenário de morte do autor).

Ubirajara; lenda tupi.  Rio de Janeiro : Garnier, 1875.  208 p.

_____.  Prefácio Adonias Filho.  Rio de Janeiro : MEC/MOBRAL, 1973.  134 p.  il.

_____.  7. ed.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1977.  v. 1.  (Edição comemorativa do centenário de morte do autor).

Til.  Rio de Janeiro, 1875.  2 v.

_____.  7. ed.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1977.  v. 5.  (Edição comemorativa do centenário de morte do autor).

O sertanejo.  Rio de Janeiro, 1876.  2 v.

_____.  7. ed.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1977.  v. 5.  (Edição comemorativa do centenário de morte do autor).

Esboços jurídicos.  Rio de Janeiro : Garnier, 1883.  239 p.

A festa macarrônica.  Rio de Janeiro : Garnier, 1883.  16 p.

A propriedade.  Rio de Janeiro : Garnier, 1883.  209 p.

Como e porque sou romancista.  Rio de Janeiro : Leuzinger & Filhos, 1893.

_____.  Rio de Janeiro : Academia Brasileira de Letras, 1987.  46 p.  il.  (Coleção Afrânio Peixoto, 2).
Encarnação.  Rio de Janeiro : Domingos Magalhães Editor, 1893.

_____.  Prefácio de Mário de Alencar .  Rio de Janeiro : Garnier, 1909.

_____.  7. ed.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1977.  v. 6.  (Edição comemorativa do centenário de morte do autor).

Obras de ficção.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1951.  16 v.

Obras completas.  Rio de Janeiro : José Aguilar, 1958-1960.  4 v.

Discursos parlamentares; obra comemorativa do centenário de morte de José de Alencar.  Brasília : Câmara dos Deputados, 1977.  670 p.  (Perfis parlamentares, 1).

Estudos sobre o autor:

ABREU, Capistrano de.  José de Alencar.  Revista do Instituto do Ceará,  Fortaleza,  v. 28,  p. 312-313, 1941.

_____.  Ensaios e estudos.  Rio de Janeiro : Sociedade Capistrano de Abreu, 1931 e 1938.  (1ª e 3ª séries).

ALENCAR, Heron de.  José de Alencar e a ficção romântica.  In : COUTINHO, Afrânio.  A literatura no Brasil.  Rio de Janeiro : Editorial Sul Americana, 1955.  v. 1, t. 2.

ALENCAR, Mário de.  José de Alencar e a língua brasileira.  Revista de Cultura,  Rio de Janeiro, v. 24.

ALMEIDA, Renato.  Revisão de valores - José Alencar.  Movimento Brasileiro,  Rio de Janeiro, v. 1, n. 3, mar. 1929.

ARARIPE JÚNIOR.  José de Alencar.  Rio de Janeiro : Tip. da Escola Serafim José Alves, 1882.

_____.  _____.  2. ed.  Rio de Janeiro : Fauchon & Cia., 1894.

ARQUIVO NACIONAL.  Ministério da Justiça e Negócios Interiores.  Pareceres de José de Alencar.  Rio de Janeiro : Revista dos Tribunais, 1960.  226 p.  (Publicações do Arquivo Nacional, 47).

ASSIS, Machado de.  A crítica teatral, José de Alencar : Mãe.  In : _____.  Obra completa.  Rio de Janeiro : Aguilar, 1959.  v. 3. 

_____.  José de Alencar : O guarani.  In : _____.  Obra completa.  Rio de Janeiro : Aguilar, 1959.  v. 3.
ASSIS, Machado de.  A estátua de José de Alencar.  In : _____.  Obra completa.  Rio de Janeiro : Aguilar, 1959.  v. 2.

AZEREDO, Magalhães de.  José de Alencar.  Rio de Janeiro : Tip. Mont’-Alverne, 1895.

AZEVEDO, Hilário de et al.  José de Alencar; sua contribuição para a expressão literária brasileira.  Rio de Janeiro : Edições Cadernos da Serra, 1979.  97 p.  (Coleção imbuí.  Ensaios e Crônicas, 4).

BARRETO, Tobias.  O romance brasileiro.  In : _____.  Estudos Alemães.  Aracaju : Ed. do Estado de Sergipe, 1926.

BARROS, Jaime de.  A vida política de José de Alencar.  O País, Rio de Janeiro, 5 de maio, 1929.

BEAR, Ely.  (Org.).  Vultos do Brasil; dicionário bio-bibliográfico brasileiro.  São Paulo : Livraria Exposição do Livro, [s. d.].  p. 20-21.  il.

BENTES, Ivana.  Realismo político de um romântico.  Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 18 abr. 1992.  Idéias/Livros & Ensaios.

BLAKE, Sacramento.  Dicionário bibliográfico brasileiro.  Rio de Janeiro : Conselho Federal de Cultura, 1970.  v. 5.  p. 74-81.

BRANCO, Camilo Castelo.  Noites de insônia.  Nova edição.  Porto : Lelo & Irmão, 1929.

BROCA, Brito.  Introdução biográfica.  In : ALENCAR, José de.  Obras de ficção.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1951.  v. 1.

_____.  Reminiscências balzaquianas em Alencar.  Correio da Manhã, Rio de Janeiro, 10 out. 1959.

BURTON, Isabel.  Prefácio.  In : ALENCAR, José de.  Iracema.  Londres : Bickerle & Son, 1886.

CALMON, Pedro.  A verdade das Minas de Prata.  In : ALENCAR, José de.  Obras de ficção.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1951.  v. 5.

CAMINHA, Adolfo.  Cartas literárias.  Rio de Janeiro : Aldina, 1895.

CARVALHO, Ronald de.  Pequena história da literatura brasileira.  Rio de Janeiro : Briguiet, 1915.

_____.  _____.  5. ed.  Rio de Janeiro : Briguiet, 1935.

CARVALHO, Ronald de.  Espelho de Ariel.  Rio de Janeiro : Anuário do Brasil, 1922.

CASSOTI, Bruno.  José de Alencar, um parlamentarista.  Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 29 mar. 1992.

CASASSANTA, Mário.  “Alencar, um formador de brasileiros”.  In : ALENCAR, José de.  Obras de ficção.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1951.  v. 13.

CASCUDO, Luís da Câmara.  O folclore na obra de José de Alencar.  In : ALENCAR, José de.  Obras de ficção.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1951.  v. 4.

CHAGAS, Manuel Pinheiro.  Novos ensaios críticos.  Porto : Viúva Moré, 1867.

COSTA, Benedito.  Le Roman au Brésil.  Paris : Garnier, 1918.

DONATO, H.  José de Alencar.  São Paulo : Melhoramentos, [s. d.].

DRIVER, D.  The indian in brazilian literature.  Nova Iorque : Instituto de Espanha, 1942.

ENCICLOPÉDIA de literatura brasileira/Oficina literária Afrânio Coutinho.  Rio de Janeiro : FAE, 1989.  v. 1.  p. 173-177.

FERRER, Manuel Cebrian.  A sociedade do segundo império na obra de José de Alencar.  Planalto,  São Paulo, 1 out. 1941.

FRANCO, Afonso Arinos de Melo.  O índio brasileiro e a Revolução Francesa.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1937.

FREITAS, Bezerra de.  Forma e expressão no romance brasileiro.  Rio de Janeiro : Pongetti, 1947.

FREYRE, Gilberto.  José de Alencar, renovador das letras e crítico social.  In : ALENCAR, José de.  Obras de ficção.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1951.  v. 10.

_____.  José de Alencar.  Rio de Janeiro : Serviço de Documentação do MEC.  1951.

_____.  Reinterpretando José de Alencar.  Rio de Janeiro : Serviço de Documentação do MEC, 1955.

FUSCO, Rosário.  Posição de José de Alencar.  Revista Brasileira,  Rio de Janeiro, 1941.

GIFFONI, O. Carneiro.  Estética e cultura.  São Paulo : Continental, 1944.

GIRÃO, Raimundo.  História econômica do Ceará.  Fortaleza, 1947.

GOMES, Alfredo.  História literária.  In : DICIONÁRIO Histórico, Geográfico do Brasil, Rio de Janeiro, v. 2, 1922.

GOMES, Eugênio.  José de Alencar.  Correio da Manhã,  Rio de Janeiro, 30 abr. 1954.

_____.  José de Alencar e a nacionalização da língua.  Correio da Manhã, Rio de Janeiro. 9 out. 1954.

_____.  A estética de José de Alencar.  Correio da Manhã,  Rio de Janeiro, 22 jan. 1955.

GRIECO, Agripino.  A maior figura brasileira do romantismo.  O Jornal,  Rio de Janeiro, 11 dez. 1927.

_____.  Um grande romancista.  O Jornal,  Rio de Janeiro, 28 abr. 1929.

_____.  Prefácio.  In : ALENCAR, José de.  Obras de ficção.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1951.  v. 9.

GUERRA, Álvaro.  José de Alencar; sua vida e sua obra.  São Paulo : Melhoramentos, 1923.

JAGUARIBE, Domingos.  José de Alencar.  Revista do Instituto do Ceará, Fortaleza, 1918.

JUCÁ FILHO, Cândido.  Uma obra clássica brasileira, Iracema de José de Alencar.  Rio de Janeiro, 1949.

LA CASA, Maria Luisa de.  La sombra de cooper sobre americanismo de Alencar.  Nova Iorque : Instituto de Espanha, [s. d.].

LEAL, Antonio Henriques.  Lucubrações.  Lisboa, 1874.

LEÃO, Mucio.  Ensaios contemporâneos.  Rio de Janeiro : Coelho Branco, 1923.

_____.  As obras de Alencar.  Jornal do Brasil,  Rio de Janeiro, 27 abr. 1942.

_____.  José de Alencar; ensaio bio-bibliográfico.  Rio de Janeiro : Academia Brasileira de Letras, 1955.

LIMA, Alceu Amoroso.  Estudos.  Rio de Janeiro : Centro D. Vital, 1930.  (4ª série).

LIMA, Augusto de.  José de Alencar.  In : REVISTA do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, Rio de Janeiro, 1930.

LIMA, Filgueiras.  A literatura cearense na formação do sentimento nacional.  Cadernos da Hora Presente,  São Paulo,  n. 9,  jul./ago., 1940.

LIMA, Raimundo Antonio da Rocha.  Crítica e literatura.  São Luís do Maranhão : Cristino Campos, 1878.

LOUSADA, Wilson.  Alencar e as Minas de Prata.  In : ALENCAR, José de.  Obras de ficção.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1951.  v. 15.

MAGALHÃES JÚNIOR, R.  José de Alencar e sua época.  São Paulo : LISA, 1971.

MELO, Gladstone Chaves de.  Alencar e a “língua brasileira”.  3. ed.  Rio de Janeiro : Conselho Federal de Cultura, 1972.  143 p.

MENDONÇA, Renato de.  O Ramo de Oliveira.  Porto : Lello & Irmão, 1951.

MENESES, José Inácio Gomes Ferreira de.  “José de Alencar-Iracema”.  Arquivo Literário,  São Paulo, set. 1867.

MENEZES, Djacir.  O jurista José de Alencar.  Carta Mensal,  Rio de Janeiro,  v. 40,  n. 476,  p. 13-23,  nov. 1994.

MENEZES, Raimundo de.  José de Alencar : literato e político.  São Paulo : Martins, 1965.  413 p.

_____.  Dicionário literário brasileiro.  São Paulo : Saraiva, 1969.  v. 1.  p. 31-34.

MEYER, Augusto. De um leitor de romance : Alencar.  In : MONTENEGRO, Olivio.  O romance brasileiro.  Rio de Janeiro : Edições O Cruzeiro, 1952.

MONIZ, Heitor.  José de Alencar, político.  Correio da Manhã,  Rio de Janeiro, 8 ago. 1949.

MONTELLO, Josué.  Uma influência de Balzac : José de Alencar.  In : ALENCAR, José de.  Obras de ficção.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1951.  v. 16.

_____.  Para conhecer melhor José de Alencar.  Rio de Janeiro : Bloch, 1973.  149 p.

MONTENEGRO, Olivio.  O romance brasileiro.  Rio de Janeiro : Edições O Cruzeiro, 1952.

_____.  _____.  2. ed.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1953.

MORAES NETO, Prudente de.  Observações sobre o romance de José de Alencar.  In : MONTENEGRO, Olívio de.  O romance brasileiro.  Rio de Janeiro : Edições O Cruzeiro, 1952.

MOTA, Artur.  José de Alencar; sua vida e sua obra.  Rio de Janeiro : F. Briguiet, 1921.

MOTA, Artur.  José de Alencar.  Revista da Academia Brasileira de Letras,  Rio de Janeiro,  n. 146,  fev. 1934.

NASCENTES, Antenor. José de Alencar e a língua brasileira.  Revista de Cultura, Rio de Janeiro,  20 nov. 1938.

OITICICA, José.  José de Alencar e o romance histórico.  Studia,  Rio de Janeiro, dez. 1950.

ORICO, Osvaldo.  A vida de José de Alencar.  São Paulo : Nacional, 1929.

OSÓRIO, Fernando.  Alencar e o gênio da raça.  Pelotas, 1929.

PEIXOTO, Afrânio.  Prefácio.  In : ALENCAR, José de.  Obras de ficção.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1951.  v. 14.

PIMENTEL, Osmar.  Um inventor de mundo novo.  In : ALENCAR, José de.  Obras de ficção.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1951.  v. 12.

PINHEIRO, Brandão.  Estudos literários e biográficos.  Rio de Janeiro : Imprensa Industrial, 1882.

PORTO ALEGRE, Apolinário.  José de Alencar.  Panteon Literário,  Porto Alegre,  n. 9-12,  set./dez. 1873.

PROENÇA, M. Cavalcanti.  José de Alencar na literatura brasileira.  Rio de Janeiro : Civilização Brasileira, 1972.

QUEIRÓZ, Raquel de.  Prefácio.  In : ALENCAR, José de.  Obras de ficção.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1951.  v. 8.

REGO, José Lins do.  José de Alencar e a língua portuguesa.  In : ALENCAR, José de.  Obras de ficção.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1951.  v. 3.

REVISTA DA ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS.  Centenário de José de Alencar.  Rio de Janeiro, n. 89,  maio 1929.

RIBEIRO, Flexa.  O poeta prosador e o prosador poeta.  O País,  Rio de Janeiro, 1 maio de 1929.

RIBEIRO, João.  Compêndio de história da literatura brasileira.  2. ed.  Rio de Janeiro : Francisco Alves, 1909.

_____.  Três estudos sobre José de Alencar.  A Manhã, Rio de Janeiro, 11 jan. 1943.  Suplemento Literário.

ROMERO, Silvio.  História da literatura brasileira.  Rio de Janeiro : Garnier, 1888.

_____.  5. ed.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1954.

SAMPAIO, J. Pereira.  O Brasil mental.  Porto : Lello & Irmão, 1898.

SANTOS, Wanderley Guilherme dos.  Dois escritos democráticos de José de Alencar.  Rio de Janeiro : UFRJ Editora.  1992.  324 p.

SILVA NETO, Serafim da.  A propósito de José de Alencar.  A Manhã, Rio de Janeiro, 20 nov. 1949.

SODRÉ, Nelson Werneck.  História da literatura brasileira; seus fundamentos econômicos.  2. ed.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1940.

_____.  Posição de José de Alencar.  In : ALENCAR, José de.  Obras de ficção.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1951.  v. 11.

_____.  Uma carreira literária.  Correio Paulistano, São Paulo, 10 out. 1954.

SOUSA, Joaquim de Paula.  Manual de literatura ou estudos sobre a literatura.  Santos : Tip. do Diário de Santos, 1878.

STUDART, Guilherme.  Faze o bem e não cates a quem.  Revista do Instituto do Ceará, Fortaleza, t. 1, p. 87, 1887.

_____.  Diccionario bio-bibliographico cearense.  Fortaleza : Typo-Lithographia A Vapor, 1913.  v. 2.  p. 158-167.

TAUNAY, Visconde de.  Reminiscências.  São Paulo : Melhoramentos, 1923.

TÁVORA, Franklin.  Literatura brasileira.  Recife : J. W. de Medeiros, 1872.

TROVÃO, Lopes.  José de Alencar, o romancista.  Rio de Janeiro : Quaresma, 1897.

VALÉRIO, Américo.  José de Alencar.  Rio de Janeiro : Aurora, 1931.

VERISSIMO, José.  Estudos brasileiros.  Rio de Janeiro : Laemmert, 1894.  v. 2. 

_____.  Estudos de literatura brasileira.  Rio de Janeiro : Garnier, 1903.  (3ª série).

_____.  História da literatura brasileira.  Rio de Janeiro : Francisco Alves, 1916.

VIANA FILHO, Luis.  A vida de José de Alencar.  Rio de Janeiro : José Olympio, 1979.  311 p.
VITOR, Nestor.  A crítica de ontem.  Rio de Janeiro : Leite Ribeiro e Maurilo, 1919.